quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Pineco - Jogos Educativos Digitais

Jogos Educativos Digitais Gratuitos para alunos dos 6 aos 13 anos

https://prored.educatic.info/pineco/

O que poderá ser mais motivador para uma criança do que aprender brincando, sobretudo, se puder utilizar um dispositivo móvel? Com a massificação dos dispositivos móveis (tablets e smartphones), abriram-se portas para as aplicações (apps) com conteúdos educativos. Esta nova realidade traz novos desafios aos agentes educativos, pais, encarregados de educação e docentes. Um dos segredos para o sucesso, além da motivação que constitui para a criança trabalhar com este tipo de dispositivos, radica no facto das aplicações contribuírem com uma forte componente lúdica para algumas atividades educativas que, até ao momento, estavam exclusivamente destinadas ao papel.

O objetivo fulcral do projeto ProRed (produção de recursos educativos digitais) é desenvolver e colocar à disposição dos agentes educativos (pais, encarregados de educação e docentes) recursos educativos que sirvam de suporte ao processo de ensino e aprendizagem, assente numa estratégia de inovação e qualidade de difusão de conhecimento.

ProRed obedecerá às orientações curriculares propostas pelo Ministério de Educação para a Educação Pré-Escolar, 1.º, 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico. O projeto nas abordagens que apresenta, em momento algum, pretende esgotar-se em si mesmo, pelo contrário, é um projeto que pretende reunir recursos educativos digitais, onde os docentes, pais, encarregados de educação e demais interessados se podem apoiar nas suas estratégias/ atividades educativas.

O Pineco é uma aplicação educativa, gratuita, desenvolvida pelo Gabinete de Modernização das Tecnologias Educativas, da Direção Regional de Educação que ajudará os mais novos a aprender os conteúdos de diversas disciplinas, de uma forma lúdica! Esta aplicação, desenvolvida a pensar, essencialmente, nas necessidades dos alunos do 1.º ciclo, conta com questões de Português, de Matemática, de Estudo do Meio e de Segurança na Internet (1.º, 2.º e 3.º CEB) com níveis de dificuldade distintos. O jogo educativo multiplataforma, desenvolvido por professores e especialistas na área, tem como objetivos estimular capacidades cognitivas das crianças, como a habilidade manual, capacidade de concentração, memória, leitura e capacidade verbal; e oferecer experiências mais enriquecedoras e de acordo com os tempos em que vivemos.


Objetivos

  • Desenvolver recursos educativos, em formato digital, que sirvam de suporte ao processo de ensino e aprendizagem e investigação, assente numa estratégia de inovação e qualidade de difusão do conhecimento
  • Promover o acesso a recursos de informação de caráter educativo a docentes, pais, encarregados de educação e demais interessados
  • Proporcionar a utilização de uma ferramenta de consulta, de exploração e de consolidação de conteúdos programáticos com uma vertente lúdica e pedagógica
  • Proporcionar um ambiente de aprendizagem informal
  • Permitir o desenvolvimento de competências e assimilação de conhecimento

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Lideranças tóxicas

Num texto de 2011 e, infelizmente, ainda tão atual!


"Como se sabe, há vários conceitos, tipos e perfis de liderança. Nas organizações escolares é relativamente consensual a vantagem da existência de uma liderança transformacional, servidora e inspiradora, que combata a ameaça da balcanização, da desconexão, da articulação débil e as múltiplas forças centrífugas.

Mas nas escolas também podem existir lideranças tóxicas. As lideranças tóxicas podem seguir o seguinte padrão:

i) Centralizam o poder e afirmam-no de várias formas e feitios;

ii) Veem o poder como um fim e não como um meio de criar condições de inovação e mudança;

iii)) Reservam e controlam a informação para saberem mais do que os outros;

iv) Desconfiam das capacidades dos membros da organização e não perdem oportunidades para o evidenciar;

v) Preservam as distâncias e cultivam o cerimonial da subserviência;

vi) Constroem dispositivos de controlo sobre rumores e boatos organizacionais;

vii) Instituem formas tendencialmente vassálicas de relação;

viii) Fundamentam o poder na autoridade legal, com o argumento eu é que sou o diretor;

ix) São permeáveis à prepotência e ao amiguismo, destruindo qualquer hipótese de construção de comunidades educativas;

x) Cumprem as orientações superiores, desvalorizando a legitimidade democrática que as colocou nesse lugar;

xi) Têm dificuldade de escuta, não constroem laços, envenenam relações, semeiam a discórdia.

xii) Ameaçam com a denúncia à tutela ou à inspeção, sempre que alguém pensa e exerce o seu poder de fazer e mobilizar os outros;

xiii) Atemorizam os inovadores para continuarem a prosperar na velha ordem.

As organizações educativas que têm a desgraça de serem “governadas” por este perfil de liderança possuem dificuldades acrescidas de cumprirem bem a sua missão. Resta a esperança de serem poucas. E de o conselho geral não estar refém deste modo de agir."


Texto de José Matias Alves (outubro de 2011) in https://correiodaeducacao.asa.pt/205917.html

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Contágio COVID 19 numa sala de reunião, num bar e numa sala de aula

O Covid-19 espalha-se pelo ar, especialmente em ambientes fechados. Não é tão infeccioso quanto o sarampo, mas os cientistas já reconhecem abertamente o papel que o contágio por aerossóis desempenha na pandemia, ou seja, as minúsculas partículas contagiosas que uma pessoa exala e permanece suspensa no ar e, especialmente, em ambientes fechados. Como funciona esse modo de contágio? E, acima de tudo, como podemos enfrentá-lo?

Neste momento, as autoridades sanitárias reconhecem três formas de contágio do covid-19. As gotas que o infetado expele ao falar ou tossir, que vão parar nos olhos, boca ou nariz da pessoa infetada. Superfícies contaminadas, embora os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA indiquem que este caso é o menos provável e o Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças avisa que nenhum contágio foi descrito dessa forma. E, por fim, infeção por aerossóis, quando se respira essas partículas infecciosas invisíveis que o doente exala e que se comportam como fumo ao sair da boca. Sem ventilação, eles permanecem suspensos e se condensam na sala com o passar do tempo.

Neste exemplo ficam diferentes espaços fechados e em todos percebemos que o uso de máscara com ventilação reduz drasticamente o contágio.

O Exemplo da sala de aula com 24 alunos reflete que se passassem duas horas em aula com um professor doente, sem tomar medidas contra aerossóis, a probabilidade de contágio chegaria a 12 alunos.


Se todos usassem máscaras, apenas 5 poderiam obtê-la. Em surtos reais, observou-se que a distribuição dos contágios é aleatória, uma vez que os aerossóis se acumulam e se distribuem pela sala sem ventilação.


Se também for ventilado durante a aula (natural ou mecanicamente) e parar após uma hora para renovar completamente o ar, o risco diminui para 1 contágio.



O documento e estudo completo em espanhol no LINK

terça-feira, 20 de outubro de 2020

#15: O Papel da Tecnologia na Educação de Infância com: Marco Bento

No 15º episódio do podcast "Conversas Pedagógicas" estivemos à conversa com o Marco Bento sobre o papel da tecnologia na educação de infância.
Conversas pedagógicas a convite da Vanessa Biléu da ChildDiary




Aprendizagem ubíqua: o exemplo do Projeto SUPERTABi a.C (antes do covid) e d.C (durante o covid)

É com uma grande honra que estarei, amanhã, às 14.30 hora do Brasil, 18.30 na hora de Portugal, a apresentar a comunicação "Aprendizagem ubíqua: o exemplo do Projeto SUPERTABi a.C (antes do covid) e d.C (durante o covid)", no II Simpósio Internacional e V Nacional de Tecnologias Digitais na Educação – V – SNTDE 2020, promovido pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre Tecnologias Digitais na Educação – GEP - TDE da Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Brasil.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Porquê aprender a programar? - cursos para crianças e jovens

Happy Code - Cursos de Programação e Robótica para crianças e jovens!

Inscrição aqui:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe22WZBhMHnEzgHsydkII6_HgnyeT2mpH9BvTEnIcmBt4sTxw/viewform

(Maia e Póvoa de Varzim)

Porquê aprender a programar?

A aprendizagem de programação permite o desenvolvimento de competências fundamentais no mundo contemporâneo, preparando os alunos para os desafios da era digital. 

Formar as crianças e jovens em competências transversais é a chave.

Aliando inovação ao conceito global STEAM – Ciências (Science), Tecnologia (Technology), Engenharia (Engineering), Artes (Arts) e Matemática (Math), a Happy Code desenvolve as Competências do Século 21 numa parceria com o Projeto SUPERTABi.

Temos Cursos para diferentes idades e gostos, permitindo real progressão ao longo do tempo.

Pode optar pelo formato ONLINE ou Presencial, onde seguimos todas as orientações da DGS.



quinta-feira, 15 de outubro de 2020

A sandes e as duas faces da moeda furada

Ainda sobre a polémica suspensão do aluno do caso das "sandes" e do "lanche".

Ponto prévio 1: O aluno errou, cometeu irresponsabilidades nos dias de hoje, que a nossa sociedade não tolera, e sabemos que o fez repetidamente com comportamentos pouco abonatórios a seu favor.

Ponto Prévio 2: O Encarregado de Educação ao saber os reais motivos dessa suspensão, também não teve a honestidade inteletual e comportamental, e aproveitou para se vitimizar junto com o aluno e restantes colegas.

Ponto Prévio 3: Uma notícia tem sempre duas faces, tem sempre direito ao contraditório, admitindo desde já que a partir do momento que sabemos que aquela medida disciplinar sancionatório é verdadeira, a justificação poderia atenuar, mas é sempre, e de todo, incompreensível aquele texto, o motivo que está escrito "a partilha de lanche com os colegas".

Assim, tendo o caso as duas faces de uma moeda, temos o problema de ver uma moeda furada... Ora, são os motivos apresentados que não justificam a medida, desde logo, ao mencionar a partilha de um lanche como o motivo, indignaria qualquer um. Assim, o documento que nos chegou a público, até por precaução da escola, deveria ter sido escrito com outro rigor, apelando e justificando os reais motivos da suspensão, de foro disciplinar.

A escola tem a responsabilidade e deveria ter tido a cautela de se proteger e redigir algo que não a comprometesse da forma que se propagou.

Se havia comentário a fazer para justificar um ou três dias de aulas de suspensão, que não fosse o lanche e a sandes, então que esse argumento fosse mais refletido e reforçado, porque o texto que chegou ao Encarregado de Educação, não serve, a fundamentação teria que ter sido outra. E para quem, hoje, como todos nós sabemos, que houve má intensão na publicação do Encarregado de Educação, o que surge lá escrito, só reforça o que, naturalmente, o mesmo pretendeu... 

Assim, mantenho a minha opinião de que houve uma enorme falta de bom senso e ética por parte das duas partes, sendo que uma escola tem poderes e tem responsabilidades, não podendo tratar-se um assunto de forma leviana, e ter justificado a decisão de forma ainda mais leve... é importante realçar que a atitude dos alunos e dos pais é reprovável, no atual contexto, por outro lado, a Escola enquanto instituição educativa tem o dever de contribuir para essa Educação e não dar argumentos para ser menosprezada.

Além disso, não deixa de ser curioso, que de repente parece que não podemos referir sobre a escola e esta decisão como sendo de uma formulação incorreta, as ofensas perante isso, dão a sensação de que não podemos dizer que "o rei vai nu"... mas vai!

E o rei vai tal maneira nu, que os comentários publicados nos jornais logo a seguir, acabam, por um lado, justificar a decisão (poderia estar na missiva... porque não?), por outro deixam às claras a forma como se estão a gerir escolas com o álibi do COVID... o autoritarismo expande-se pela sociedade a olhos vistos... a dada altura é referido que "o cumprimento de simples regras de higiene e distanciamento são o que pedimos à geração do seu filho"... quando pensávamos que a esta geração pedíamos trabalho colaborativo, pensamento crítico, autonomia, comunicação,... mas se cumprir regras de distanciamento, já será um mal menor, e certamente, que este não voltará a reprovar!!!

Que a escola está doente... pior que a pandemia, isso está... e é preciso que, não por cooperativismos, mas se manifeste de forma clara o que se vai passando... esta democracia, onde daqui a pouco somos obrigados a ter um smartphone com uma app instalada... está com uns laivos de outros tempos e de outras culturas!

Peço desculpa, mas aqui a moeda está claramente furada!

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

O bom senso e a falta dele: a nova pandemia

Apurando a veracidade desta medida, percebemos que reina uma falta de bom senso nas nossas escolas e em algumas pessoas que as dirigem, que a torna mais assustadora do que qualquer pandemia...

É inacreditável que de uma partilha sentida de um lanche, nasça uma sanção desta natureza... depois dizem que a sociedade não tem valores!

Quando se discute a cidadania nas escolas... eis que voltam a ser os adultos a surpreenderem com gestos e soluções de uma verdadeira sociedade "democrática"

 

terça-feira, 13 de outubro de 2020

14.º Episódio das Conversas Pedagógicas

A convite da Vanessa Biléu da ChildDiary, estarei presente nas conversas pedagógicas... 

Este 14º episódio das "Conversas Pedagógicas" não é apenas para educadores...este interessará, certamente, também aos pais!

Estão todos CONVIDADOS!!!! 😃

Uma conversa sobre os prós e contras das tecnologias, internet e afins dentro das instituições, dentro das nossas casas e nas relações nomeadamente escola-família!

QUINTA-FEIRA ÀS 21H30! 

Ecrãs com crianças: sim ou não?

Tecnologia em salas de creche & pré-escolar: sim ou não?

Gamificação da aprendizagem?

Tecnologia: recurso do futuro ou mais do que um recurso de aprendizagem presente?

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Dia do Professor 2020

O Dia Mundial do Professor celebra-se anualmente no dia 5 de outubro, em Portugal junto com uma outra data bastante importante, a implantação da República,

A data foi criada pela UNESCO em 1994 com o objetivo de chamar atenção para o papel fundamental dos professores na sociedade e na instrução da população, hoje, esse papel ganha um novo fôlego e um novo papel!
Que este dia seja apenas mais um para homenagear todos os que contribuem para o ensino e para a educação da sociedade.
Este dia promove todos aqueles que escolheram o ensino como forma de vida e que dedicam o seu dia-a-dia a ensinar, crianças, jovens e adultos. A mensagem do Dia Mundial do Professor está na dignidade e na importância do professor na sociedade, como construtor de pessoas.

O V Encontro SUPERTABi 2020 foi dedicado a todos os professores que passam e passaram por momentos de verdadeira (re)significação profissional...
Este poema é dedicado a todos aqueles que foram, são e serão PROFESSORES.



quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Dia Mundial da Música

O Dia Mundial da Música comemora-se anualmente a 1 de outubro.

A data foi instituída em 1975 pelo International Music Council, uma instituição fundada em 1949 pela UNESCO, que agrega vários organismos e individualidades do mundo da música. Os objetivos do Dia Mundial da Música: - Promover a arte musical em todos os setores da sociedade; - Divulgar a diversidade musical; - Aplicação dos ideais da UNESCO, como a paz e amizade entre as pessoas, a evolução das culturas e a troca de experiências. - Neste dia decorrem vários concertos em todo o país, de forma a celebrar o - Dia Mundial da Música. Muitos destes concertos são de entrada livre. Este é também o dia ideal para comprar discos e instrumentos musicais, uma vez que várias lojas apresentam descontos em artigos de música. A música é uma forma de arte adorada por milhões de pessoas espalhadas pelo mundo, fazendo parte do quotidiano. A música é até uma forma de unir as pessoas do mundo e é considerada como um alimento para a alma. O SUPERTABi presta essa homenagem com o Quarteto Vita Música, que atuou durante o Encontro



Mais vistas